sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Dia de Saudade

Hoje ao lembrar de você chorei...
Chorei por não poder mais ver os seus olhos;
Por não poder mais sentir o seu cheiro;
Por não passar mais “Vick Vaporub” na minha barriga quando dói;
Por não poder tocar sua única covinha na bochecha esquerda e compará-la com a minha;
Por não poder vê-la tecer um tapete com suas mãos tão pequenas e frágeis;
Por não ter mais que me esforçar pra entender o que você dizia com sua voz rouca;
Por não ouvir mais você me chamando “Uh”;
Por não ouvir mais as histórias que você contava de quando eu era bem pequena e tantos outros “causos” supersticiosos que me davam medo;
Por não ouvi-la mais reclamar de todos seus filhos e netos;
Por não poder mais comer o torresmo que você fritava pra nós na sua casa;
Por não vê-la mais estimar as horas pela sombra da porta projetada no chão;
Por não poder mais admirar você se aproximando ao longe, andando dificultosa, e beijar a sua mão e pedir a benção.
Esta semana você completaria noventa e dois anos. Há cinco anos nos separamos.
Por aqui sobraram todas estas doces lembranças e seu retrato sobre a cômoda que eu faço questão de olhar todos os dias desde que se foi.
Não digo mais que a perdi, sei que o nos separa é somente a matéria. Tenho certeza que nos reencontraremos quando nos for permitido, e aguardo ansiosamente pelo dia em que poderei novamente estar em seus braços, deitar em seu colo e tocar sua covinha assim como na última vez que nos vimos, assim como na ultima vez que seus olhos brilharam pra mim.
Amo você minha avô “bugra”, minha avô índia, minha forte “Ana Terra”.

4 comentários:

Daninha disse...

É Tata tantos se foram e nós continuamos aqui vendo-os partir e nos deixando a saudade, mas acredito qdo dizem que esta distancia é momentanea e que um dia todos iremos nos reencontrar, sei que o tempo que para nós é algo dificil de suportar na verdade é infimo diante da grandiosidade que é a vida, e isso me faz seguir em frente confiando e acreditando no recomeço. Por isso agradeço a Deus todos os dias a segunda chance que me deu, pois com esta chance a oportunidade de reve-los é certa.

Deisezinha disse...

També agradeço a Deus por isso :D

Wi disse...

Sei bem como são essas lembranças.
Como vc disse pra mim e reafirmou no post, a distância física é o de menos. Ela tá aí, do seu lado, sorrindo por tamanha demonstração de carinho. :]

Bruna disse...

Oi Deise!
Chorei muito ao ler o seu post. Perdi minha avó há 4 meses e a minha saudade ainda é muito doída, muito recente.
Não consegui ainda dormir um dia sem pensar nela e não consegui ainda acordar sem sentir a dor da sua falta.
Tenho muita propriedade em dizer que sinto muito por você e a sua saudade. Sinto de coração.
Beijos.